3 de junho de 2015


Ah! O amor! O amor é lindo, dizem, e é tema de filmes, novelas, revistas, livros e as mais variadas canções, dizem ainda que toda boa história tem uma incrível história de amor, mas peraí, que amor é esse? Já que o que mais vemos são casamentos destruídos, nunca se houve falar tanto e cometer tamanhas atrocidades com esposas ou com maridos como na época em que vivemos, fidelidade virou apenas uma palavra que pouco se usa e raríssimo se pratica, então que amor é esse?

Esse amor é apenas um sentimento, como o sentimento de raiva ou pena, e como estes, nem sempre amamos ou estamos com raiva de algo ou alguém, desse modo o amor precisa de circunstâncias favoráveis para amar, da mesma forma que os navegantes precisam de ventos favoráveis para navegar. 

O amor verdadeiro, o mundo não conhece, nem jamais conheceu, nem conhecerá, pois este, nada tem a ver com sentimentos, mas está ligado inteiramente à fé, que por sua vez está ligada à certeza, à crença absoluta na Palavra de Deus independente de circunstâncias.

O Apóstolo Paulo dirigido pelo Espírito Santo e escrevendo aos cristãos da Galácia, diz: 

"Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio." Gálatas 5.22-23

Ora, o Apóstolo diz "O fruto", porém são nove, não deveria, portanto usar o plural ao invés do singular? Não! Não há erros na Palavra de Deus, creio que o Apóstolo Paulo foi assim inspirado, pois todos os outros frutos são complementos do amor, sendo o amor o maior deles.

O amor de que trata a Palavra de Deus em nada diz respeito ao amor desse mundo, este é a característica mais acentuada daquele que entregou a vida ao Senhor Jesus de fato e de verdade, pois ela passa a ter Deus dentro de si, pois Deus é amor - 1 João 4.16 - Como pois alguém que tem Deus dentro de si, vai trair, ferir e magoar? Impossível!

O amor desse mundo é um sentimento, baseado na troca mútua de interesses.

O amor verdadeiro, Fruto do Espírito de Deus em nós, é dar, sem esperar nada em troca, é prático, é amar ao próximo como a mim mesmo, é amar e orar pelos nossos inimigos é perdoar pelo menos 70X7, é sacrificar a própria vida em favor da alma aflita e por fim, é um fruto resultante de um plantio: A vida entregue incondicionalmente ao Senhor Jesus Cristo.

Na fé. Sempre!
Pastor Régis Castro

0 comentários:

Postar um comentário

Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!