7 de junho de 2014


O amor é cego! É muito comum ouvirmos esta expressão, que sugere alguém perdidamente apaixonado por uma pessoa apesar de seus muitos defeitos, mas seria de fato o amor cego e indiferente a falhas e erros de outrem? NÃO, exceto no mundo da fantasia, filmes, músicas, livros e novelas, no mundo real o amor enxerga e enxerga muito bem por sinal.

Esse sentimento que se sente quando se está atraído por alguém e se é capaz de cometer qualquer loucura para ter a atenção e o carinho de tal pessoa, nada mais é do que uma paixão, e paixão não é amor, é apenas um sentimento, desenfreado, carnal e impulsivo, é justamente por causa desse sentimento, que vêm o ciúme doentio, brigas, insegurança e a infidelidade.

O amor é o oposto da paixão e nada tem a ver com sentimentos, o amor é racional e inteligente, o amor conhece os defeitos da pessoa que está ao seu lado e faz todo o sacrifício para mudar e fazê-la feliz, quando as falhas são diferenças de personalidade, o amor nos leva a ajustar-se a elas, pois ninguém é perfeito para buscarmos a perfeição em alguém.

No amor há momentos românticos e momentos sem nenhum romantismo, há desentendimentos para se chegar a um consentimento, há segurança ao invés de ciúmes, muito diálogo para um melhor entendimento e há fidelidade como prova exclusiva de amor. Já a paixão é cega e a garantia de um relacionamento frustrado e doloroso, o amor inteligente é o passaporte para um relacionamento feliz e duradouro, pois tudo que é verdadeiro vence o tempo.

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. 1 Coríntios 13.4-6

Na fé. Sempre!
Pastor Régis Castro

0 comentários:

Postar um comentário

Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!